Formação do Téc. em Agropec. discutida em seminário no IFMG

SINTAMIG participa de seminário do ensino Técnico em Agropecuária

Organizado pelos Institutos Federais Mineiros, o evento ocorreu no IFMG - Campus Bambuí, nos dias 27 e 28 de novembro de 2012.
O objetivo foi promover uma discussão entre educadores, profissionais, Empresas e Entidades representantes dos Técnicos Agrícolas para avaliarem as possibilidades e necessidades de mudança na grade curricular do curso de Técnico em Agropecuária para atender plenamente às demandas do mercado.
Estavam presentes representantes de todas as unidades dos Institutos Federais de educação de Minas Gerais. 
O Sindicato dos Técnicos Agrícolas de Minas Gerais foi representado pelo seu Presidente Téc. em Agropec. Carlos Roberto Alves. O Diretor Tesoureiro Téc. em Agropec. Márcio José Rodrigues, que também é Conselheiro do CREA-MG, estava representando o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de MG.
O Seminário contou com diversos expositores. Representantes dos Institutos Federais fizeram apresentações concernentes ao atual currículo de suas respectivas unidades de ensino.  Os representantes do CREA-MG e do SINTAMIG discorreram sobre o perfil do Técnico Agrícola, pontos positivos e negativos na formação do Técnico em Agropecuária formados na atualidade, enquanto os representantes de empresas falaram, dentre outras questões, dos quesitos que julgam importantes na formação do profissional, tendo em vista as demandas do mercado de trabalho.
As discussões abordaram diversos temas. Um destes, que chamou mais atenção tendo sido inclusive abordado pelo Presidente do SINTAMIG em seu pronunciamento, se refere às possibilidades das escolas adotarem uma grade curricular direcionada para uma formação mais específica em detrimento do modelo tradicional que forma o aluno em uma perspectiva mais generalista, onde o mesmo ganha uma formação ampla, em vários campos do saber, ficando para o profissional, uma vez diplomado, encontrar no próprio mercado de trabalho as oportunidades de especialização.
Fazendo uma análise prévia dos desdobramentos do evento, o Presidente do SINTAMIG avalia que, de fato, prevaleceu a idéia de que o Técnico em Agropecuária precisa de uma formação generalista, podendo a Entidade de Ensino, oferecer cursos complementares de capacitação, de acordo com a vocação produtiva regional e em função do surgimento de novos nichos de mercado.